Raízes do Dashboard: do complexo ao acessível


Olá! Nós, da XPBoards, sabemos que você já está mais do que ligado sobre o que são dashboards, suas funcionalidades organizacionais, formatos e sua importância para uma boa gestão, certo?


Mas você já se perguntou de onde nasceram os dashboards e como funcionava o mundo antes deles?


Ainda não? Não perca tempo e leia com a gente!


Nos anos 60, o globo se encontrava em plena revolução com a ascensão de meios de comunicação como a televisão e o rádio. No setor industrial, as fábricas cresciam em um ritmo fora de controle devido a um boom populacional que traçaria novos paradigmas para a forma de se viver e consumir.


Acompanhando essa onda, alguns estudiosos da época começavam a entender que tamanho crescimento poderia culminar em um descontrole social e econômico. O desafio estava em criar um bem-estar organizacional para milhões de pessoas e milhares de novas tarefas, informações, promoções e produções. Mas em um ambiente em que tudo era novo para todos, ainda havia o empecilho de criar algo que ensinasse cada indivíduo sobre sua realidade de trabalho, evitando que novos trabalhadores se tornassem “máquinas automáticas” de um processo que nem eles sabiam o que era.


Portanto, para combater a desinformação, cientistas de computação se debruçaram em um projeto batizado de Sistemas de Suporte à Decisão (em inglês, DSS – Decision Support Systems) que visava trazer apoio no processo de decisão e planejamento de pesquisas quantitativas feitas por um modelo de computador. Nascia ali o primeiro projeto de dashboard.


O projeto, ainda cru nos anos 60, começou a ganhar mais vida nos anos 70, quando mais pessoas se debruçariam sobre o assunto e novas funcionalidades começariam a ser desenvolvidas. Um dos principais beneficiadores do movimento foi o investigador e professor norte-americano John Little, que desenvolveu o que seria o projeto-base das funções que um dashboards deveria ter. São eles: visual simples, facilidade de controle, robustez e complexidade aos detalhes.

Mesmo com o avanço das tecnologias e funcionalidades dos dashs, muitas empresas sofreram consequências drásticas no momento de implementar as novas ferramentas.

Em nossa realidade atual, é possível automatizar certos processos específicos utilizando dashboards que apontam problemas de maneira assertiva, porém continuamos cientes de que os dashboards não podem decidir tudo por nós. Muito pelo contrário, as plataformas servem para nos ajudar a realizar estudos sobre algum fator e, a partir da análise, chegar a uma conclusão.


Entretanto, nos anos 80, algumas multinacionais que possuíam aporte econômico (dashboards eram tecnologias extremamente caras) para adotar os Sistemas de Suporte à Decisão observaram seu investimento despencar quando grandes empreendedores pensaram que poderiam utilizar a plataforma para reduzir custos humanos.


O desastre anunciado acontecia à medida que novas demandas eram estipuladas, já que os sistemas, por exemplo, em fábricas de carros, eram configurados para atender um número específico de produção, mas nunca decidir o que deveria ser alterado ou descartado.

Na mesma época, cientes das diversas crises que o mundo tinha pela frente, universidades de todas as partes do mundo adotariam cursos relacionados ao estudo dos sistemas de informação e suas frentes.


Com isso, nas décadas seguintes, atrelados ao avanço da internet, os dashboards passariam a fazer parte da vida de milhões de pessoas e seus computadores. A forma de organizar, portanto, se tornou plural, o que veio a facilitar uma implementação em massa da tecnologia.

Nessa trajetória de aproximadamente 60 anos, os dashboards foram responsáveis por ajudar o mundo a tomar melhores decisões em todos os âmbitos humanos, além de terem se tornado, em tempos modernos, um dos principais aliados de qualquer empresa, negócio e até mesmo para uma boa organização pessoal.


Agora não vá me dizer que, após conhecer tanto sobre os dashboards, você ainda não quer ter um pra você?


Venha conhecer a XPBoards! Nossos modelos de dash possuem um design que ajuda você a soltar a criatividade, são bem fáceis de mexer e ainda podem te ajudar a organizar aquele estudo ou apresentação.


Curtiu o conteúdo? Deixe um comentário.







5 visualizações